sábado, 30 de março de 2013

PEREGRINA DE PAZ - Post IV

POST IV
Agora quando eu falo sobre os passos em direção à paz interior, refiro-me a um esquema geral, mas não há nada arbitrário em termos do numero de passos. Estes podem expandir-se ou reduzir-se e é importante observar: os passos em direção à paz interior não são realizados em qualquer ordem específica. O primeiro passo para alguém, pode ser o último para o outro. Assim, tome aqueles passos que pareçam mais fáceis para você e quando tomar uns poucos passos, será mais fácil tomar outros. Nesta área podemos, realmente, trocar experiências. É possível que nenhum de vocês se sinta chamado a empreender uma peregrinação, e eu não estou tentando induzi-los a fazer isso, mas, quanto ao modo de encontrar harmonia em nossas vidas, podemos compartilhar experiências. E eu tenho a impressão de que quando vocês me ouvirem contar alguns passos em direção à paz, vocês os reconhecerão como passos por vocês mesmos empreendidos. Primeiramente, gostaria de mencionar algumas preparações que me foram exigidas. A primeira preparação é uma atitude correta diante da vida. Isto significa: pare de fugir!. Pare de viver na superfície, apenas tocando a espuma das águas. Há milhões de pessoas que vivem assim e elas nunca encontrarão nada que valha a pena. Disponha-se a encarar a vida de frente e mergulhar para além da superfície da vida, onde as verdades e realidades podem ser encontradas. É isso que estamos fazendo agora. Há que ter em conta a questão de assumir-se uma atitude positiva face aos problemas que a vida venha a lhe apresentar. Se você pudesse ver o panorama completo, se você conhecesse a história toda, compreenderia que nenhum problema virá a você se este não cumprir um propósito em relação a sua vida, não contribuir para o seu crescimento interior. Quando você perceber isso, reconhecerá problemas como oportunidades disfarçadas. Se não enfrentasse problemas, você, simplesmente, flutuaria vida afora sem nunca crescer interiormente. É solucionando problemas de acordo com a luz mais elevada que temos, que obteremos crescimento interior. Problemas coletivos devem ser resolvidos coletivamente, e ninguém encontrará a paz interior se evitar fazer sua parte quanto à resolução de problemas coletivos, como o desarmamento e a paz mundial. Assim, pensemos e discutamos juntos sobre esses problemas, trabalhando coletivamente com vistas à sua resolução. A segunda preparação diz respeito a manter nossas vidas em harmonia com as leis que governam esse universo. Não só os mundos e os seres foram criados, mas também as leis que os governam. Aplicáveis tanto no plano físico como no plano psicológico, estas leis governam  a conduta humana. Na medida em que formos capazes de manter nossas vidas em harmonia com estas leis, nossas vidas serão harmonicas. Na medida em que desobedecermos estas leis, criamos dificuldade para nós, através de nossa desobediência. Somos os piores inimigos de nós mesmos. Se estamos em desarmonia por ignorância, sofremos um pouco, mas se conhecemos estas leis e mesmo assim, nos empenhamos em desarmonizar, então sofremos muito. Acredito que estas leis são bem conhecidas e acreditadas, em consequência, elas só precisam ser bem vividas.
Assim, eu me ocupei de um projeto muito interessante: levar à pratica todas as coisas boas nas quais acreditava. Eu não me confundi tentando fazer tudo de uma vez, mas, pelo contrário, quando sentia estar fazendo algo que sabia não dever fazer, eu parava e sempre fazia rápida renúncia. Este é o caminho mais fácil. Renunciar aos poucos é duro e custoso. E, se eu não estava fazendo algo que sabia dever fazer, imediatamente, disto me ocupava. Levou-me bastante tempo viver o que acreditava, mas, obviamente, isto é possível, e, agora, se acredito em algo, vivo aquilo em que acredito, de outra forma,  a vida seria completamente sem sentido. Quando comecei a viver de acordo com minhas luzes mais elevadas, descobri que outra luz me era concedida e que me abria para receber mais luz, à medida em que vivia a luz que já possuía.

Nenhum comentário:

Postar um comentário